O que é marketing digital? O guia completo de como fazer negócios na internet (2020)

O que é marketing digital

Você sabe o que é marketing digital?

Não estou falando apenas em ter uma ideia sobre o que se trata este assunto, mas sim sobre entender todo potencial envolvido na utilização de estratégias digitais para potencializar qualquer tipo de negócio.

Hoje todos nós sabemos que a internet já é parte integrante da nossa vida, porque estamos conectados para grande parte das atividades do nosso cotidiano, como pedir um jantar, bater papo com amigos e parentes, buscar informações e comprar produtos, e muito mais.

Ou seja, esse grande crescimento que a internet vem tomando está fazendo com que estratégias de marketing aplicadas no meio digital vem se tornando um dos maiores, senão o maior meio de gerar negócios para grandes e pequenas empresas. Afinal, o seu cliente também está conectado!

Portanto, preparei este artigo para ser um verdadeiro guia para você aprimorar toda e qualquer estratégia que queira tomar ligada ao marketing digital.

Já te adianto que o marketing digital é o que pode impulsionar e até mesmo salvar qualquer tipo de negócio e é acessível a todos, sejam pequenas, médias, ou grandes empresas.

Aqui vou explicar tudo o que você precisa saber para começar (ou aprimorar) a divulgação de produtos e serviços na internet. E vou além…

Além de explicar o que é marketing digital, vamos falar sobre suas vantagens, os conceitos, as principais estratégias e também como elaborar um plano de marketing.

E se você ainda não tem um negócio próprio, mas está em busca de alguma oportunidade, saiba que essas informações podem te dar uma luz para iniciar o próprio negócio, seja vendendo algo pela internet ou até prestando consultorias a outras empresas.

Portanto, prepare a pipoca, se aconchegue em sua poltrona e vamos ao que interessa!

Conteúdo

O que é marketing digital?

Em uma definição bem simples, podemos dizer que marketing digital é um conjunto de estratégias aplicadas por meios digitais para qualquer pessoa ou empresa promover seus produtos ou serviços.

Podemos dizer que fazer marketing é oferecer, vender e trocar algo que irá satisfazer as necessidades ou desejos de outras pessoas. E essa definição é bem antiga e totalmente válida até o dias de hoje.

Aprofundando um pouco mais o nosso conceito, o marketing digital é o que conecta o seu cliente ao seu negócio, gera relacionamento, faz vendas e o fideliza.

E para realizar essa conexão entre empresa e cliente, adicionamos uma camada de internet na história.

Portanto, o marketing digital utiliza sites, blogs, YouTube, redes sociais, emails, dentre muitos outros meios (que irei falar em breve com detalhes) para promover produtos e serviços para satisfazer as necessidades e desejos das pessoas.

Um pouco da história do Marketing Digital

Bem rapidamente vou te falar sobre a evolução do marketing e onde o marketing digital entrou na jogada.

Muito antigamente (bem antigamente mesmo), o que existia para fazer divulgação e propaganda?

Existia somente a televisão, o rádio, jornais e revistas, outdoors

Quantas empresas poderiam anunciar em um canal de televisão? Apenas as grandes, não é mesmo?

Portanto, as ações de marketing muitas vezes ficavam limitadas as grandes empresas.

Web 1.0 – a nova era

Então, por volta dos anos 90, houve um grande crescimento e popularização da internet e nascia o que chamamos de Web 1.0.

Foi nesse momento que começaram a nascer os primeiros sites e blogs. Surgiu também o Google (muito mais simples do que é hoje), o ICQ e outros softwares de troca de mensagens, como o email (que é fortemente utilizado até hoje).

E neste momento as empresas também começaram a olhar para esse “novo meio de comunicação” e iniciavam-se as primeiras propagandas que dariam o surgimento do que conhecemos como marketing digital.

Web 2.0 – a era social

Aí que aconteceu o grande BOOM da internet e do marketing digital. Nos anos 2000 surgiram as redes sociais e também o Google começou a tomar cada vez mais espaço na vida das pessoas.

Portanto, a partir desse período a internet começou a ficar mais popular, mais acessível e também mais presente à vida das pessoas.

E nesse momento também as pessoas e empresas começaram a aumentar os seus esforços dentro do marketing digital. Afinal, as empresas queriam estar presentes aonde seus clientes estivessem.

E também é importante frisar que houve um aumento expressivo na quantidade de informação disponível na internet, porque já passavam dos 10 milhões de websites criados.

Uma diferença bem característica entre a Web 1.0 e a 2.0 é a seguinte:

  • Na Web 1.0, a comunicação era mais de uma via só. Alguns sites oferendo informações à sua audiência e clientes.
  • Já na 2.0 havia mais interatividade. As redes sociais possibilitavam uma conversa entre as empresas e sua audiência.

A importância do marketing digital

Como vimos, a internet é o principal meio de comunicação existente hoje em dia, pois a maior parte da população está conectada o tempo todo para suas rotinas cotidianas.

Então é importante que toda empresa que queira se manter competitiva no mercado esteja presente nos meios digitais.

Te desafio! Olhe ao redor e conte quantas pessoas estão conectadas em algum dispositivo com internet.

Você já é uma, já que está lendo este artigo. Com certeza, quando estiver na rua, também verá diversas pessoas utilizando seus smartphones.

Até em um restaurante ou em um bar, tem sempre alguém postando uma foto nas redes sociais, ou trocando mensagens com os amigos. Talvez um outdoor ou um cartaz que esteja próximo à mesa passe despercebido. Mas a internet está sempre nas mãos das pessoas (literalmente).

Ou seja, esteja também presente e será visto pelo seu cliente.

É importante observar que hoje em dia é grande a concorrência, e ainda existem empresas que não adotam nenhuma estratégia de marketing.

E além disso, ainda existem aqueles que apostam nas estratégias de marketing de 30 anos atrás (antes da internet). Você não quer ser aquele que não acompanhou o avanço que citamos no capítulo anterior, não é mesmo?

E se formos comparar com os métodos anteriores, o marketing digital é mais democrático, pois é muito mais fácil e barato uma pequena empresa manter uma página no Facebook, um perfil no Instagram e um site do que competir com os grandes em anúncios na televisão e rádio.

Quais são as vantagens do marketing digital?

Nesse momento, você já deve ter visto algumas vantagens do marketing digital, mas te garanto que agora falaremos de itens que realmente farão você repensar o seu interesse em partir de uma vez por todas para o mundo digital.

Cada vez mais que o digital está presente na vida das pessoas, na mesma proporção cresce o marketing digital. Pois a quantidade de pessoas que estão conectadas é a quantidade de pessoas que pode ser impactada pelo marketing digital.

E cada vez mais ele se tornará indispensável para uma empresa, pois ele torna competitivo qualquer tipo de negócio, seja ele pequeno, médio ou grande.

Vamos agora falar sobre as principais vantagens que o marketing digital pode proporcionar a qualquer pessoa ou empresa que saiba como fazer.

É muito mais econômico

Investir em marketing digital, no ponto de vista financeiro, é muito mais acessível a qualquer tipo de empresa do que investir em vários outros canais, como, por exemplo, televisão, rádio, jornais e revistas.

Afinal, sempre que você quer realizar uma ação de marketing tradicional, como um anúncio em uma revista ou jornal, uma propaganda na televisão ou rádio, ou até mesmo uma simples panfletagem na sua cidade, é necessário investir um alto valor.

Porém, no marketing digital, você consegue impactar milhares de pessoas com valores bem inferiores do que das outras formas.

Além disso, você consegue direcionar com muito mais precisão qual o tipo de pessoa que você quer impactar, o que pode trazer um melhor aproveitamento de sua mensagem, consequentemente um ROI (Return Over Investment – Retorno Sobre Investimento) muito maior.

É importante também ressaltar que, apesar de ser mais acessível, às vezes é melhor ser realizado por profissionais que consigam trazer um melhor resultado, e evitar fazer um trabalho sem retorno algum.

Gera mais oportunidades

Vamos supor que o seu negócio seja de vendas de artigos para cachorros. Na sua loja física você está limitado a atender os clientes do seu bairro, talvez da sua cidade.

Se você for uma empresa muito conceituada, talvez até atenda as cidades vizinhas.

Então podemos dizer que no digital, você não tem barreiras e nem fronteiras.

Se você trabalha com um excelente produto, você poderá fazer a sua marca chegar em qualquer lugar do Brasil. Aliás, se o seu produto tem diferencial, você poderá anunciá-lo até para fora do Brasil.

Ou seja, dessa forma você conseguirá gerar negócios e oportunidades em qualquer território, não apenas se limitando ao seu espaço físico para fazer o atendimento de seus clientes.

Promove interação com o seu cliente

Quais são as oportunidades no plano físico de os clientes terem contato com os gestores das empresas?

Você tem contato próximo com a gerência do supermercado que frequenta? Talvez você até conheça os donos de algumas pequenas empresas das quais você costuma frequentar.

No digital, você abre canais para que o cliente possa interagir com você mais rápido e de forma mais próxima. Portanto, você conseguirá escutá-lo, entender os seus desejos, as suas críticas e até mesmo saber como eles estão respondendo às suas publicidades.

E nos meios digitais até o próprio cliente se sente mais próximo e mais a vontade a fazer uma crítica ou um elogio, até mesmo a tirar uma dúvida com você, ou avaliar o seu produto.

Portanto, assim você consegue trabalhar focando exatamente no que o seu cliente deseja. Ou seja, conseguirá ser mais assertivo no seu atendimento.

A consequência disso é você conseguir, literalmente, fãs da sua marca e ter mais vendas caindo no bolso.

relacionamento com a marca

É de rápida implementação

Dentro do marketing digital você tem muito mais velocidade de implementação de estratégias.

O que eu quero dizer com isso é que você, com poucos cliques, consegue disparar sua mensagem, seja ela uma promoção, ou o anúncio de um novo produto e rapidamente os seus clientes estarão em contato com isso.

Imagine que você queira fazer uma panfletagem na sua cidade. A gráfica exigirá um tempo até a confecção dos panfletos e você precisará contratar promotores para fazer a entrega.

No marketing digital, você consegue compor um email e enviá-lo a sua lista de clientes de forma quase que imediata. Ou então fazer uma publicação em suas redes sociais e no mesmo momento a sua audiência estará sabendo da novidade.

É direcionável

Dentro do marketing nos meios digitais, é possível você direcionar a sua mensagem para as pessoas que você identifica como sendo o seu público-alvo.

Voltando ao exemplo da panfletagem: Você não consegue medir tão bem a eficiência da ação, pois todos que passarem pelo local da ação irão pegar seu anúncio e, muitas vezes, jogarão fora sem lê-lo.

LEIA TAMBÉM:  Persona: O que é e como criar sua buyer persona no Marketing Digital

Se você pagar uma propaganda numa rádio ou programa de televisão, a mensagem será recebida por todos que estiverem assistindo aquela programação naquele momento. Porém, não necessariamente serão exatamente o seu cliente em potencial.

Entretanto, no marketing digital, existe a possibilidade de você direcionar a sua comunicação para pessoas que tenham as características que você julgue como sendo a do seu público-alvo preferencial.

direcionamento

Permite análise e mensuração dos dados

Você não tem ideia das possibilidades que se abrem quando conseguimos analisar os dados do marketing digital.

Ao contrário dos outros meios, no digital você consegue saber exatamente tudo o que acontece com a sua divulgação.

É possível saber a quantidade de pessoas que foram impactadas pela sua comunicação e, inclusive, saber qual foi a reação dessa audiência após verem a sua mensagem.

Ou seja, você consegue saber quantas pessoas acessaram uma determinada página do seu site, sabe quantas pessoas visualizaram um anúncio seu, sabem até mesmo a quantidade de pessoas que clicaram nesse anúncio.

Portanto, isso permite que você corrija os erros que estiver cometendo e também aprimore o que estiver dando o maior retorno, tudo isso em tempo real.

É escalável

escalabilidade

Como já dissemos, em pouco tempo você descobre o que está funcionando e também o que não está surtindo o efeito desejado.

Portanto, no marketing digital você poderá aumentar os esforços e investimentos financeiros no que funciona, e retirar os investimentos ou corrigir o que não está atendendo ao seu objetivo.

Assim, você consegue reinvestir seus esforços e dinheiro, sempre aumentando a qualidade da sua comunicação.

Conceitos de Marketing Digital

Antes de entrarmos a fundo nas estratégias do marketing digital, é importante explicar a você alguns termos muito utilizados neste universo.

Não dá para falar o que é marketing digital sem explicarmos estes termos, pois essa é uma área de estudos muito ampla, assim como é uma engenharia.

Persona

Entenda a persona como se fosse um personagem que você cria para ilustrar o perfil do seu cliente ideal.

Você faz uma observações das características comuns de seus clientes para definir a persona. Portanto, dessa forma você conseguirá direcionar uma comunicação mais eficiente e ações mais segmentadas para essa persona.

Então, a persona tem nome, idade, grau de instrução, renda, hábitos e estilo de vida, e quanto mais eficiente for sua definição da persona, mais assertiva será a sua ação.

Nicho de Mercado

O nicho de mercado é basicamente o seu setor de atuação, da forma mais específica possível.

Ou seja, é uma oportunidade de negócio dentro de um mercado mais amplo mais amplo, preferencialmente onde existam consumidores com pouca, ou até mesmo nenhuma, oferta de soluções para satisfazer as suas necessidades.

Por exemplo: Existe o nicho de mercado de veterinária. Dentro dele existe o subnicho de ração para cães. Se formos além, podemos definir mais um subnicho como, por exemplo, ração natural para cães.

Lead

O lead é o seu cliente em potencial.

É alguém que teve acesso a sua divulgação e então demonstrou algum interesse nos seus produtos ou serviços.

Dentro do marketing digital, o lead é a pessoa que por algum motivo deixou os seus contatos para que você possa continuar em contato com ele.

Normalmente você oferece um tipo de amostra de conteúdo ou uma demonstração do seu serviço e em troca, esse lead deixa o contato para receber essa “isca digital”, abrindo a possibilidade de você continuar em contato com ele, entregando mais conteúdo que possa convertê-lo enfim em um cliente.

Isca Digital

Iscas digitais são algo de valor ao cliente que é oferecido normalmente de forma gratuita, para atraí-los a receber uma “demonstração” do nosso serviço.

Em troca dessas iscas, o visitante é incentivado a deixar alguma forma de contato (normalmente o email) e assim se torna um lead.

Funil de Vendas

O funil de vendas, que também é conhecido como jornada de compra, é o percurso que o cliente percorre, desde o momento da identificação de um problema, até o reconhecimento da sua marca e, por fim, a compra do seu produto.

Em linhas gerais, o cliente primeiro nota que tem um problema que precisa de solução. Após isso, ele busca um produto ou serviço que satisfaça sua necessidade. E então, ele encontra a sua solução, a considera e, por fim, realiza a compra.

Landing Page

Uma landing page, também conhecida como página de venda ou página de captura, é uma página destinada exclusivamente a converter visitantes em compradores ou leads.

Elas são focadas totalmente em fazer o visitante tomar uma determinada ação. Portanto, são compostas de escrita persuasiva, textos e imagens chamativos e ofertas de benefícios.

Então, as landing pages podem ser para o oferecimento de uma isca digital ou cupom de desconto (em troca dos contatos da pessoa), assinatura de uma newsletter, uma oferta de serviço ou produto.

SEO

SEO (Search Engine Optimization) significa Otimização para Mecanismos de Buscas.

De forma simples, podemos definir como técnicas de otimização que podemos fazer com que o site ou blog (ou até mesmo os vídeos no YouTube) sejam posicionados nas primeiras posições.

Essas técnicas, quando bem aplicadas, possibilitam que você receba muito mais tráfego orgânico, ou seja, sem que você precise pagar por isso.

Dessa forma, o site tem muito mais visibilidade, ganham autoridade e, como consequência, muito mais oportunidade de vendas.

CTA

O CTA (Call To Action) é o que conhecemos como chamada para ação.

Costumam ser botões ou links que contém uma ideia da ação que o usuário deve realizar ao visitar uma página ou ver o anúncio.

A função do CTA é simplesmente conduzir o cliente ao próximo passo do funil, e é algo como “Compre agora”, ou “Assine a Newsletter“, ou “Faça o Download do Ebook”.

Apesar de ser algo simples, isso é muito eficaz para preparar o usuário para o consumo do que estiver oferecendo.

Fluxo de Nutrição

O fluxo de nutrição pode ser entendido como uma rotina automatizada para enviar comunicações, normalmente por emails, para que o usuário seja conduzido pelo funil de vendas.

Ou seja, normalmente uma ação do usuário dispara um gatilho que irá fazer com que ele comece a receber mensagens para ir nutrindo o relacionamento entre a empresa e o consumidor.

Então, a medida que ele vai recebendo essas mensagens, vai adquirindo mais confiança e credibilidade para, posteriormente, se tornar um cliente.

Quais são as melhores estratégias de marketing digital?

Por causa do grande aumento da infraestrutura na internet e os avanços da tecnologia, existe uma infinidade de possibilidades envolvendo estratégias de marketing digital.

Portanto, não é possível dizer qual é a estratégia de marketing é mais importante, ou mais eficaz.

O que é importante definir é qual (ou quais) estratégias são as que garantem o melhor resultado para o seu negócio especificamente.

Ou seja, o ideal é fazer um estudo da persona para descobrir quais meios digitais utiliza e, em cima disso, faz-se um apanhado de estratégias que se complementam e garantem o sucesso da ação.

Mas você não veio aqui para ficar no escuro, não é mesmo?

Portanto, agora eu vou mostrar a você quais são os principais meios de marketing digital disponíveis.

E mais uma vez, eu reforço a ideia: O importante é analisar as estratégias disponíveis e definir quais serão as melhores para trazer o melhor resultado para o seu negócio.

Para ilustrar algumas possibilidades, aqui está um infográfico que a Unbounce criou, que é um guia reunindo as principais categorias de estratégias de marketing digital.

Infográfico - Guia iniciante para marketing digital
Infográfico – Guia iniciante para marketing digital

Existe uma infinidade de canais e de estratégias para se fazer marketing digital. Além disso, a cada dia nascem mais oportunidades dentro desse universo.

Portanto, agora vamos falar sobre as principais estratégias de marketing digital. São elas:

  1. Inbound Marketing;
  2. Marketing de Conteúdo;
  3. E-Mail Marketing;
  4. Otimização dos Mecanismos de Busca (SEO);
  5. Marketing dos Mecanismos de Busca (SEM);
  6. Marketing de mídias Sociais;
  7. Outros tipos de anúncio;
  8. Marketing de Afiliados;

Inbound Marketing

O Inbound Marketing, também conhecido como marketing de atração, é uma estratégia que tem como objetivo fazer você ser encontrado pelas pessoas.

É uma forma de marketing onde o foco é gerar conteúdo relevante para a persona, se comunicar com o público, para fazer com que o cliente vá até a empresa (e não o contrário).

Para uma estratégia eficiente, é necessário que a empresa entenda das necessidades de seu público-alvo e crie um canal de comunicação para servir informações de interesse e, posteriormente, sugerir as soluções para seus desejos.

Ou seja, a empresa não somente quer vender soluções, e sim conversar com o seu público, gerando confiança, interesse e, consequentemente, autoridade.

Marketing de Conteúdo

O Marketing de Conteúdo é um dos principais pilares do Inbound Marketing, pois é através do conteúdo que a empresa é encontrada pelas pessoas e, ele também é o que irá mantê-los engajados.

O conteúdo deve ser pensado de acordo com os interesses da persona e, quando tem valor e é bem trabalhado, posiciona a empresa em pontos que atraiam a atenção do público, que irá começar a acompanhar este conteúdo.

Portanto, o conteúdo é o responsável pela primeira parte do funil de vendas, que é de atrair a atenção do usuário.

Visto isso, o primeiro passo para realizar o marketing de conteúdo é entender a persona, suas dores e, principalmente, como ele procura esse conteúdo na internet. E dessa forma você poderá se posicionar para ser encontrado quando este usuário estiver buscando pela solução de seus problemas.

E onde este conteúdo deve ser posicionado? Iremos falar sobre isso agora:

Site Institucional

Um site institucional é um site na web onde a empresa coloca suas informações para que os clientes a encontre.

Normalmente este website contém uma página inicial com um resumo de tudo o que diz respeito à empresa, uma sessão sobre a empresa, seus produtos e/ou serviços, um formulário de contato, juntamente com os outros contatos disponíveis, sua equipe, etc.

Esse é um meio importante de se ter uma presença na internet, pois passa credibilidade e autoridade, além de ser um outro meio de seu cliente te encontrar e saber sobre o seu trabalho.

Além disso, é interessante dizer que o site é um canal de total propriedade da pessoa ou empresa, e lá é que você pode colocar suas landing pages, além de outras ferramentas que iremos dizer na sequência.

O site institucional em si não é tão eficaz na tarefa de “chamar a atenção inicial” da audiência. Porém, ele é interessante para passar credibilidade e autoridade.

Blog

Já o blog é um dos principais lugares para se implementar o marketing de conteúdo.

O blog é um local onde a empresa pode colocar artigos relacionados ao seu nicho de atuação, para que os clientes possam pesquisar os assuntos e notar a sua expertise naquele mercado.

Podemos dizer que é principalmente através do blog que as pessoas conseguirão encontrá-lo na internet quando tiverem algum problema ao qual desejam uma solução.

Ou seja, produzindo-se bons artigos, maiores serão as chances de ser encontrado nas ferramentas de busca pela sua persona. E para que estes artigos estejam bem posicionados, a empresa deve trabalhar o SEO (Search Engine OptimizationOtimização para os Mecanismos de Busca), mas já vamos falar sobre isso daqui a pouco.

O blog é normalmente inserido dentro do seu website. Portanto está aí mais uma importância de você considerar ter o seu espaço na internet através de um site.

E-commerce

O e-commerce também não é especificamente para geração de conteúdo mas, assim como o site institucional, é um complemento para a sua presença online.

E se você tem o interesse em realizar vendas através de uma loja virtual na internet, você deverá considerar a possibilidade de ter um e-commerce.

O e-commerce é uma vitrine onde você poderá colocar os seus produtos para vender através da internet. Portanto, também é um ambiente sob o seu controle para realizar as transações entre os clientes e sua loja.

Também é necessário o máximo de profissionalismo na criação de sua loja virtual, pois ela deve transmitir segurança e credibilidade para os clientes colocarem seus dados pessoais e realizar a compra de seus produtos.

E também é importante dizer que o e-commerce também é uma parte integrante do seu website.

Canais de Conteúdo (YouTube/Pinterest)

Os canais de conteúdo são redes públicas onde você também poderá criar conteúdo de interesse de sua audiência. Dessa forma você também poderá aumentar a credibilidade e autoridade da sua marca, além de ser mais uma forma de ser localizado por pessoas que estejam procurando por algo relacionado ao seu nicho de mercado.

E também é importante salientar que a procura de conteúdo nessas ferramentas, dependendo do nicho, é altíssima! Portanto, é uma boa ideia marcar presença também nesses canais.

Como exemplos de canais de conteúdo, podemos citar o YouTube e o Pinterest, que são locais onde você pode criar um perfil para compartilhar vídeos (no caso do YouTube), imagens e infográficos (no caso do Pinterest).

Portanto, esses são exemplos de locais com grande visitação, onde você poderá também deixar sua marca para ser encontrado de forma gratuita.

LEIA TAMBÉM:  O que é nicho de mercado: 6 dicas para escolher um ótimo nicho

Redes Sociais (Facebook, Instagram, LinkedIn, Twitter)

A grande maioria das pessoas estão presentes em uma, ou até em várias redes sociais (ou mídias sociais, como também são conhecidas) como Facebook, Instagram, LinkedIn, Twitter, dentre outras.

A principal função do marketing digital em uma rede social é se relacionar com a audiência e gerar interação imediata.

O conteúdo dentro de uma rede social tem vida curta e é mais dinâmico. Portanto, é interessante que a sua presença seja constante, sempre mandando conteúdos curtos e de interesse para o seu público.

Afinal, quem não é visto, não é lembrado, correto?

As redes sociais são excelentes ferramentas para captar o maior número de seguidores e encaminhá-los aos canais onde você consegue uma comunicação mais direcionada.

São uma excelente ferramenta para divulgação, pois são gratuitas e tem uma grande comunidade acessando a todo momento.

Definindo uma estratégia para as redes sociais

Abaixo eu listo algumas dicas para obter sucesso nas estratégias nas redes sociais.

  • Encontre as redes sociais corretas para trabalhar, pois cada rede social tem suas particularidades. Portanto, a intenção dos usuários delas também são distintas.
  • Você deve saber quais redes sociais a sua persona utiliza e focar seus esforços em gerar conteúdo nelas. Por exemplo: O público no Instagram é totalmente diferente do público no LinkedIn. Isso não quer dizer que uma pessoa não possa estar nas duas, mas sim que no Instagram ela estará mais interessada em fotos e videos curtos, enquanto no LinkedIn estará focada em algo mais profissional.
  • Como o conteúdo nas redes sociais tem vida útil curta, é importante definir um calendário editorial. Ou seja, um cronograma de postagens para manter sempre a sua rede atualizada.
  • Aposte em conteúdos virais, pois isso eleva o seu alcance. É impossível saber antecipadamente qual conteúdo irá viralizar, mas você deve tentar criar conteúdo que gere interatividade e engajamento. Ou seja, conteúdo que as pessoas vão querer comentar, ou compartilhar com sua rede de amigos.
  • As redes sociais são espaços gratuitos. Porém, considere investir algum dinheiro em anúncios, pois é a forma de você direcionar a sua mensagem a mais gente, aumentando também o seu alcance.

E-Mail Marketing

O email marketing é uma das principais (senão a melhor) ferramentas do marketing digital para conversão do seu público em cliente.

Através dela, você consegue enviar mensagens direcionadas para as pessoas que alguma vez se interessaram pelo seu conteúdo e, manter assim uma comunicação direcionada e efetiva.

Aliás, com isso você tem a possibilidade de melhorar o engajamento do seu público com o seu conteúdo e até oferecer soluções para os seus problemas.

Engana-se quem pensa que o e-mail está morto. Afinal, para tudo que você vá fazer na internet é necessário um e-mail.

A estratégia basicamente consiste em você conseguir de alguma forma (uma landing page com entrega de uma isca digital, por exemplo) o e-mail do seu público (lead) e a partir daí, programar envios periódicos de material e conteúdo para fortalecer o seu relacionamento.

Além desse conteúdo, periodicamente você também faz uma oferta de venda de produto ou serviço e, estando o lead interessado nessa oferta, é realizada a conversão.

Otimização para os Mecanismos de Busca (SEO – Search Engine Optimization)

De nada adianta você ter o conteúdo de valor, mas este conteúdo não ser encontrado pelo seu público. E para fazer com que o seu conteúdo seja encontrado por milhares de pessoas que estão buscando por algo relacionado, existe o SEO.

SEO (Search Engine Optimization – Otimização para os Mecanismos de Busca) são um conjunto de técnicas que visam deixar o conteúdo de seu site ou blog acessíveis por pessoas que utilizam os mecanismos de busca, como o Google, para encontrar a resposta para alguma dúvida ou a solução para um problema.

O Google é o site mais acessado no mundo, seguido pelo YouTube (que também pertence ao Google). Além desses, existem vários outros mecanismos de busca, como Bing, Yahoo, Pinterest.

A grande maioria das experiências online começam com uma pesquisa. Portanto, é fundamental que você consiga colocar o seu conteúdo nas primeiras posições para quando o seu público procurar pelo seu assunto.

Afinal, os 3 primeiros resultados no Google ganham em torno de 40% de todos os cliques.

Como fazer o SEO do seu site

Para fazer o SEO de seu conteúdo, tenha em mente o seguinte: O principal fator que os mecanismos consideram para um bom posicionamento é a experiência do usuário.

Portanto esses mecanismos tem algoritmos altamente complexos que levam muita coisa em consideração para oferecer o seu site para um usuário. O Google tem diversas diretivas para classificação do conteúdo para saber se ele irá “ranquear” entre as primeiras ou entre as últimas posições.

Então seria impossível listá-las aqui, mesmo porque essas diretivas não são divulgadas. Mas podemos falar sobre alguns fatores importantes que ajudarão o seu conteúdo a ficar bem posicionado:

  • Otimize sua página para carregar rapidamente, para que o usuário não desista de aguardar;
  • Tenha um conteúdo que realmente desperte o interesse no usuário, para que o usuário fique o maior tempo possível dentro de sua página;
  • Coloque links ligando outras partes relacionadas do seu site, para que o usuário navegue além da página a qual ele foi direcionado inicialmente;
  • Sempre que possível, se embase em algum artigo especializado para reforçar sua ideia, sempre colocando a fonte de origem;
  • Utilize palavras-chave relacionadas ao conteúdo sempre que possível, para que o Google (ou qualquer outro mecanismo) entenda sobre o que se trata aquele artigo;
  • Não deixe somente o texto no artigo. Tente sempre colocar outros elementos ilustrativos para enriquecer a experiência do usuário. Fotos, infográficos e vídeos relacionados ao conteúdo irão contar muitos pontos com o usuário e também com os mecanismos de busca.

O SEO pode ser dividido em duas grandes categorias, que são:

SEO On Page

SEO On Page são otimizações que você deve fazer dentro do seu artigo e seu site. Ou seja, os títulos, as palavras-chave, a forma de escrita, os links internos, as imagens, são tudo classificados como SEO On Page.

SEO Off Page

Mas além das otimizações internas, uma coisa que conta muito para um bom posicionamento é o SEO Off Page, ou seja, as otimizações externas.

Esses são critérios valiosíssimos para o ranqueamento pelos buscadores e algumas vezes foge do nosso controle.

São exemplos de SEO Off Page os links externos que levam para dentro do seu site. Esses links podem vir de outros sites e blogs, ou das redes sociais. Portanto, quanto mais pessoas estiverem falando sobre o seu artigo, mais valor ele terá para os mecanismos de busca.

Marketing para os Mecanismos de Busca (SEM – Search Engine Marketing)

Vamos falar agora sobre outra estratégia para os mecanismos de busca. Apresento-lhes o SEM (Search Engine Marketing – Marketing para os Mecanismos de Busca).

Lembra que falamos que o Google e YouTube são os dois sites mais visitados no mundo? Então, com certeza você deve considerar estar presente nesses ambientes se quiser conquistar muito tráfego para os seus canais.

Mas como deve ter percebido, SEO é algo custoso, exige tempo e muito trabalho. E qual a forma de contornar isso? A resposta é com o SEM.

Veja na imagem abaixo uma busca aleatória que fiz por hospedagem de site:

busca no Google
Resultados de busca no Google

Note que as 4 primeiras posições são ocupadas por anúncios. Isso é, essas empresas pagaram para fazer com que seus anúncios aparecessem para quem procurasse por hospedagem de site.

Ou seja, essa é mais uma forma de colocar sua marca em evidência aonde o seu cliente está procurando por uma solução.

Normalmente quando alguém faz uma busca é porque está procurando a solução de alguma dúvida ou problema. E os mecanismos de busca irão retornar os links de sites que são especializados nisso. E alguns desses serão anúncios.

Portanto, SEM é a estratégia de posicionar o seu anúncio nos mecanismos de busca. E é importante que você saiba trabalhar muito bem as palavras-chave, bem como entender das métricas e otimizações de anúncios, para garantir uma campanha com um retorno sobre investimento (ROI) positivo.

Observação Importante

Hoje em dia o SEM é mais utilizado para descrever estratégias de anúncios pagos. Porém, devemos considerar que o SEO também faz parte de estratégias de Marketing para os Mecanismos de Busca. Ou seja, SEO está dentro do SEM.

Marketing de Mídias Sociais

Já falei anteriormente um pouco sobre as mídias sociais, e agora vou dizer mais sobre essas poderosas ferramentas de marketing.

Nas redes sociais, existe também o alcance orgânico (onde você não investe em anúncios) e o alcance pago (investindo em anúncios).

Alcance orgânico nas mídias sociais

No tópico sobre marketing de conteúdo, falamos sobre a geração de conteúdo para as mídias sociais. Portanto, é importante dizer agora como funciona o alcance orgânico nessas mídias.

Usando como exemplo o Instagram e o Facebook, que são as maiores redes sociais atualmente, notamos cada vez menos alcance orgânico (sem investimento) nas publicações.

Ou seja, devido à gigante quantidade de conteúdo que é gerado a cada minuto nessas redes, é cada vez menor o alcance orgânico. O algoritmo dessas redes sociais tem que selecionar o melhor conteúdo para seus usuários e esse espaço é dividido entre os milhões de usuários que estão gerando mais conteúdo simultaneamente.

Portanto, para que seu conteúdo seja exposto para a maior quantidade de pessoas, é importante que se atente a quatro itens fundamentais:

  • Publicações constantes – É importante que você esteja a todo momento gerando conteúdo para nutrir os seus seguidores e sempre mantendo uma constância nas publicações.
  • Conteúdo de interesse – É importante que seu conteúdo seja atrativo aos seguidores. Não somente posts com vendas e produtos, mas que tenha algo interessante que faça o seu seguidor querer recebê-lo mais vezes.
  • Diversificação de conteúdo – Você deve apostar em vários formatos de conteúdo. Falando de Instagram, por exemplo, é importante que gere conteúdo com fotos, com vídeos, carrossel de fotos, stories, IGTV.
  • Geração de conteúdo com potencial de viralização – É importante que o seu conteúdo, de certa forma, estimule o usuário a comentar, curtir, compartilhar, ou de qualquer forma, interagir com o seu conteúdo.

Alcance pago nas mídias sociais

Outra forma de ter seu conteúdo exposto para milhares de pessoas é através dos anúncios pagos nas redes sociais.

Como vimos, o alcance orgânico é bastante limitado e exige muito esforço na geração de conteúdo. Porém, você consegue fazer com que o seu conteúdo impacte muitas pessoas utilizando os anúncios.

Através deles, você consegue segmentar o tipo de público que você quer que o seu anúncio seja exposto e trabalhar também a definição dos objetivos de sua campanha.

Ou seja, além de você poder definir o perfil ideal de pessoas a quem quer exibir, você pode falar se o objetivo é que seja criado engajamento com sua publicação, ou que o usuário envie uma mensagem a você, ou até mesmo algum tipo de conversão (como inscrição em uma lista de e-mails ou até mesmo a compra do seu produto).

E conforme a campanha vai progredindo, a própria ferramenta de anúncios começa a analisar os resultados e otimizando para conseguir atender melhor o seu objetivo.

Para que você consiga trabalhar corretamente com os anúncios pagos em redes sociais, afim de evitar investir dinheiro sem nenhum retorno, é importante que você tenha algum conhecimento, principalmente nos seguintes tópicos:

  • Definição de público-alvo;
  • Reconhecimento das métricas de análise de performance;
  • Otimização de anúncios através das métricas;
  • Escala de anúncios;
  • Remarketing.

Anúncios Pay-Per-Click (PPC) ou Pay-Per-View (PPV)

Outros tipos de anúncios são possíveis dentro do marketing digital. Conhecidos como Anúncios Pay-Per-Click (PPC), onde você paga pela quantidade de cliques que aquele anúncio recebeu, ou Pay-Per-View (PPV), no qual você paga por quantas pessoas visualizaram o seu anúncio.

São comuns os seguintes tipos de anúncios:

Display Ads

Alguns sites disponibilizam setores no seu layout para que ferramentas de anúncios promovam outros conteúdos.

Ou seja, através de alguma ferramenta de anúncios, você colocará o seu banner dentro de outros sites, fazendo com que a audiência desses canais possam se interessar pela sua oferta e acessar o seu conteúdo.

Como já foi citado em SEM, o Google Ads (ou outras ferramentas de anúncios de buscadores) fazem você anunciar para ocupar as páginas de busca.

Por serem locais estratégicos e privilegiados, tendem a receber bastante tráfego.

Remarketing/Retargeting

Remarketing e Retargeting (tem diferenças entre ambos, mas não é assunto para esse artigo) é uma técnica de posicionar os seus anúncios para as pessoas que já tiveram contato com você em algum momento.

Também normalmente são inseridos em outros sites ou redes sociais, afim de relembrar o seu cliente de você.

Quando a pessoa acessa o seu conteúdo, ela é marcada com o que chamamos de cookie (um pequeno arquivo que fica no navegador da pessoa) e, quando ela acessa algum lugar onde você esteja anunciando, ela verá novos anúncios de sua empresa.

O intuito é justamente esse! Relembrar o seu cliente da sua existência. Caso ele esteja considerando comprar alguma solução sua, o seu anúncio irá aparecer com mais frequência para esse usuário afim de incentivar a conversão em venda.

LEIA TAMBÉM:  Marketing de afiliados: O que é e como começar um negócio digital

Locação de espaço publicitário

Outra forma bastante comum de publicidade é alugar o espaço dentro de um site que seja ligado ao seu nicho.

Bem parecido com o display ads, porém você trata diretamente com o dono do site no qual deseja posicionar o seu anúncio.

É realizado um acordo entre as partes e através do pagamento de um determinado valor, o seu anúncio ficará inserido no site dessa pessoa por um determinado tempo.

Marketing de Afiliados

Outra forma muito em alta de marketing é através do marketing de afiliados.

Através de uma plataforma de afiliação onde você esteja oferecendo o seu produto ou serviço, as pessoas se afiliam e começam a oferecer seu produto indicando em seus blogs, redes sociais, YouTube, ou de qualquer outra forma.

E quando ocorre a venda, essas pessoas são comissionadas por uma porcentagem pré-definida.

Elaborando um plano de Marketing Digital

Fazer marketing na internet é, de certa forma, simples. Mas para uma boa estratégia dentro do marketing digital, é importante que você elabore um plano de marketing para que consiga obter exito em gerar conversões e dar visibilidade à sua marca.

Como já vimos anteriormente, são inúmeras as possibilidades de ações possíveis nos meios digitais. Portanto como podemos definir quais delas utilizar?

Portanto, o plano de marketing busca esclarecer onde você deverá direcionar os seus esforços para conseguir atender os objetivos, com o melhor retorno.

Segue abaixo tudo o que você precisa definir no seu plano de marketing digital.

1 – Defina os seus objetivos

Você deve ter metas claras dos seus objetivos com qualquer campanhas de marketing digital.

  • O seu interesse é obter mais visualizações da sua mensagem?
  • Ou então você deseja atrair mais tráfego para o seu site, ou para algum produto em especial?
  • Ou será que você tem interesse que as pessoas se comuniquem com você de alguma forma?
  • Será que é interessante atrair muitas pessoas para a sua lista de emails ou então pra o seu WhatsApp?
  • Talvez o seu objetivo seja que as pessoas encontrem uma página sua e façam uma compra do que está sendo oferecido.

Sempre que quiser fazer uma campanha, defina o que você deseja que os seu público faça e coloque as metas em pauta.

2 – Defina o público-alvo, ou melhor, a persona

Você tem que saber exatamente qual o seu cliente em potencial.

Somente dessa forma você poderá direcionar uma comunicação que atraia a atenção dessas pessoas.

Portanto é importante você iniciar o trabalho definindo informações desse público, que aqui chamamos de persona, da seguinte forma:

  • Quem é o seu cliente?
  • Onde ele vive?
  • Qual o seu grau de instrução?
  • Qual o seu poder aquisitivo?
  • Por quais assuntos ele se interessa?
  • O que ele costuma buscar na internet?
  • Quais são as suas maiores dores e problemas?

O interessante é que no marketing digital, após iniciar o trabalho, você poderá ir adaptando essas descrições de acordo com as informações que começar a coletar sobre as pessoas que estão interagindo com sua comunicação.

Um trabalho bem feito na definição das personas poderá lhe poupar muito esforço e dinheiro.

3 – Crie os indicadores-chave de performance (KPIs)

É importante conhecer os indicadores-chave e saber quais você monitorar para a sua campanha.

Portanto, vou listar alguns aqui:

  • Custo por ação;
  • Custo por aquisição de clientes;
  • Taxa de conversão;
  • Ticket médio por cliente;
  • Dentre muitos outros…

Portanto, os indicadores-chave são extremamente úteis para você saber o quão eficaz está a sua campanha.

Só assim você poderá corrigi-la e otimizá-la.

Vou deixar aqui um link para o site do Neil Patel, onde ele explica tudo sobre as KPIs (clique aqui).

4 – Definir os canais de divulgação

Aonde a sua persona costuma usar o maior tempo na internet? Onde busca as respostas para as suas dúvidas?

Essas perguntas podem lhe auxiliar sobre aonde focar os seus maiores esforços para que sua divulgação seja encontrada pelo seu público alvo e cliente em potencial.

Destine o maior esforço onde seu público é mais facilmente encontrado.

Porém, é bem legal diversificar também.

Quanto mais canais você movimentar, maiores as chances de ser encontrado.

5 – Escolha as estratégias adequadas

Dentre todas as possibilidades no marketing digital, defina quais as que melhor trarão resultados positivos a você.

Existem diversas possibilidades de fazer com que a sua mensagem chegue ao seu público-alvo.

Portanto, teste várias e destine o seu maior esforço para as que mais atendem aos seus objetivos.

6 – Avaliar os resultados e aprimorar suas estratégias

Depois de tudo aplicado, analise as métricas, verifique o que foi positivo e o que foi negativo, corrija os erros e foque nas estratégias que mais deram resultado.

Isso é um ciclo que nunca acaba. Afinal, sempre é possível otimizar a sua comunicação.

Entenda as métricas do marketing digital

O ponto mais incrível do marketing digital é a possibilidade de você ter dados que possibilitam mensurar com clareza a performance das ações.

Portanto, é essencial que você entenda as principais métricas para que consiga entender o que está acontecendo em suas redes e saber onde direcionar os esforços e investimentos.

Sem a análise das métricas, é impossível saber se as ações estão trazendo resultados e, principalmente, podem ocasionar investimentos perdidos, tanto de tempo quanto de dinheiro.

Métricas de conversão

As métricas de conversão são todas as métricas que mensuram a atividade em nossas redes, sites e anúncios. Elas indicam a quantidade de pessoas impactadas por nossos anúncios ou conteúdos e suas ações em cima disso.

São exemplos de métricas de conversão:

Quantidade de visitantes únicos

É a quantidade de pessoas que acessaram suas páginas, ou uma determinada página, dentro de um período pré-definido.

Quantidade de cliques

A quantidade de vezes que algum link ou algum anúncio foi clicado. Quando você compara a quantidade de exibições do link com a quantidade de cliques que ele recebeu, você tem a taxa de cliques (CTRClick Through Rate).

É importante sempre trabalharmos para aumentar a taxa de cliques de nossas ações. Ou seja, garantir que cada vez mais pessoas estejam clicando em nossa comunicação.

Origem do tráfego

Com essa métrica conseguimos verificar de onde está vindo o tráfego para nosso site ou para nossas páginas.

Portanto, você consegue mensurar onde está sendo captado o nosso tráfego: se estão vindo de alguma rede social, ou de buscas da internet, ou de anúncios, YouTube, etc.

E dessa forma podemos melhorar os canais que estejam trazendo a maior parte do resultado, fazendo gerar cada vez mais tráfego.

Taxa de rejeição

A Taxa de rejeição é uma métrica negativa, que indica a quantidade de abandono que estamos tendo de alguma página ou anúncio.

Dessa forma podemos buscar melhorar esses pontos para não perdermos os clientes e fazermos a maior parte deles permanecerem engajados com nosso conteúdo.

Taxa de conversão

A taxa de conversão é uma das principais métricas a serem observadas, pois ela indica qual a eficiência que estamos tendo em conduzir a persona pelo nosso funil de vendas.

Entenda conversão qualquer etapa do seu funil, e não necessariamente a venda.

Ou seja, você pode mensurar a quantidade de pessoas que acessaram a sua página e deixou o e-mail, tornando-se um lead. Então pode mensurar quantos leads avançaram para sua página de vendas de um produto.

Por fim, também pode mensurar quantas pessoas acessaram essa página de vendas e realizaram a compra.

Esse foi um exemplo de jornada de compra. Entende que cada etapa é uma conversão?

Então, supondo que você veja que muitas pessoas estão acessando sua página, mas poucas estão se tornando leads, pode melhorar essa etapa, afim de levar mais gente para a próxima etapa, e assim sucessivamente.

Proporção de novos visitantes

Essa métrica é comparativa de quantas pessoas acessaram suas páginas, em comparação com outros períodos.

Dessa forma, você consegue ver se suas ações estão trazendo novos visitantes e consegue trabalhar para cada vez mais gente consumindo o seu conteúdo.

Recorrência de visitantes

A recorrência de visitantes é a quantidade de pessoas que visitaram suas páginas em um determinado período e que retornaram após alguns dias.

Observando essa métrica, você pode também buscar ferramentas e estratégias para fazer com que os seus visitantes retornem frequentemente, pois quanto mais em contato com seu conteúdo o visitante estiver, maiores são as chances de ele consumir os seus produtos.

Métricas de Receita

As métricas de receita são responsáveis por mensurar o potencial financeiro que o seu marketing digital proporciona para o seu negócio.

Não podemos dizer que as métricas de receita são mais importantes que as de conversão, nem o contrário. Ou seja, todas essas métricas se complementam em questão de importância para a estratégia como um todo.

Então agora vamos detalhar as principais métricas de receita disponíveis.

Retorno sobre Investimento (ROI)

O Retorno sobre Investimento (ROIReturn Over Investment) é a métrica que faz a relação entre quanto foi investido e o quanto isso gerou de lucro em alguma ação.

Portanto, com ela você consegue mensurar o retorno financeiro que alguma ação de marketing sua realizou para o seu negócio.

Por exemplo: Imagine que você investiu R$ 500 em anúncios no Facebook e no Instagram, e as pessoas que tiveram contato com a sua divulgação resultaram em R$ 1000 em vendas.

Então essa ação fez com que você pagasse os R$ 500 iniciais e ainda sobrassem mais R$ 500 de lucro. Portanto, você teve um ROI de 100% (ou de 2 vezes) do capital investido.

Custo de Aquisição de Cliente (CAC)

Esta métrica indica o quanto você investiu para ter um novo cliente atendido.

Ou seja, imagine que você esteja vendendo um produto que lhe dê R$ 100 de lucro. Então se o Custo de Aquisição de Cliente de sua ação ficar abaixo desse valor, sua ação estará gerando lucro.

Portanto, o seu objetivo é sempre tentar realizar ações para reduzir este custo, fazendo assim com que o seu lucro aumente.

Custo por Lead (CPL)

Imagine que você está realizando uma ação para capturar contatos de potenciais clientes (leads). O Custo por Lead (CPL) é o valor que você investiu para capturar cada um desses contatos, podendo assim realizar uma comunicação com eles para convertê-los em clientes.

Da mesma forma que no CAC, o objetivo de suas ações é conseguir realizar ações que retornem um lead pelo menor custo possível, podendo realizar vendas recorrentes para esse lead, aumentando assim o seu lucro.

Lifetime Value (LTV)

Essa métrica é fundamental para saber estratégias de longo prazo.

O Lifetime Value indica, em média, quanto cada cliente costuma gastar com você durante toda a relação que ele mantém com sua empresa.

Tendo essa média, você consegue estimar até quanto poderá investir para ter um novo cliente.

Curiosidade: Estudo de caso Starbucks

A Starbucks, a maior rede de cafeteria do mundo, certa vez fez um estudo para determinar o seu LTV.

Ela analisou a média que alguns clientes americanos costumava gastar por dia em suas cafeterias.

Analisou também a média de visitas semanais que cada cliente realizava e então chegou na média de quanto cada cliente costumava gastar por semana.

Calculou também por quantos anos em média um cliente permanecia consumindo em suas cafeterias e chegou ao incrível número de U$ 14.000.

Exatamente. Pelas suas estimativas, a Starbucks concluiu que na média, cada cliente consumia durante sua vida, em torno de 14 mil dólares.

Portanto, se eles investirem abaixo disso para conquistar e manter um cliente, estariam no lucro.

Conclusão

Vimos neste guia tudo o que você precisa saber para iniciar qualquer estratégia de sucesso.

Existem diversas formas de fazer qualquer ação de marketing digital atualmente. Além disso, vimos que a cada dia surgem variadas possibilidades de estratégias envolvendo a possibilidade de negócios na internet.

Ou seja, cada dia mais o marketing digital é fundamental para qualquer marca ou empresa que queira crescer e garantir sucesso.

Também deixei claro as vantagens que a internet oferece aos negócios, além de mostrar todo o potencial para salvar uma empresa de qualquer crise que o marketing digital oferece.

Detalhei também os principais conceitos que você deve saber relacionados a divulgação pela internet, falei sobre as melhores estratégias, e também sobre como elaborar um plano de marketing.

Além disso, falamos sobre as métricas fundamentais para você conseguir mensurar a eficiência de suas estratégias.

Portanto, agora é a hora de você colocar a mão na massa e subir o nível de suas ações nos meios digitais.

Se você curtiu as informações que postei aqui, seja grato e compartilhe esse artigo com outras pessoas, para que elas possam também entender sobre todo o potencial que o marketing digital tem a oferecer.

Não deixe de comentar aqui o que achou, e também se ficaram dúvidas, pois será um prazer auxiliá-lo.

Um grande abraço, e nos vemos no próximo post.

Compartilhe este post:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email
Autor:
André Alves

André Alves

Analista de Sistemas, apaixonado por tecnologia, hoje atua e presta consultoria no mercado de Marketing Digital e Infoprodutos.

5 respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *